'Nem no pior pesadelo eu imaginava passar por isso', diz dona de creche após surto de diarreia

Ela agradeceu o apoio recebido dos pais de alunos e citou como exemplo a mãe do menino Théo, que faleceu na última semana

Por Estevão Gomes 03/04/2019 - 10:23 hs

A proprietária da creche Praia Baby, onde ocorreu um surto de diarreia que matou uma criança de dois anos e contaminou outras 17 pessoas, se pronunciou pela primeira vez e contou como tem enfrentado o problema. 

Na tarde de terça-feira (2), a Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) esteve na creche para realização de perícia. O estabelecimento passou a ser investigado depois da morte do pequeno Theo, de 2 anos, uma das vítimas do surto de diarreia na creche. Abalada, a dona do estabelecimento agradeceu o apoio dos pais de alunos. 

“Em primeiro lugar, preciso manifestar toda dor que estamos sentindo. Nem nos nossos piores pesadelos imaginaríamos passar por um momento como esse, de sofrimento, de exposição, de perda de uma vida. Quero agradecer novamente as declarações da mãe do nosso querido aluno Théo. Ela não buscou culpados e deu exemplo de grandeza, de fé, de humanidade. Só uma grande mulher é capaz de um gesto como esse. Somos solidários à dor dessa mãe", desabafou.

A proprietária contou ainda que as mensagens e vídeos com demonstrações de carinho, por parte dos pais e das mãe de cada criança, estão servindo de apoio para ela enfrentar tudo isso. "Ficamos emocionados com o apoio de todos! Esses familiares sabem o trabalho sério que sempre realizamos. Somos trabalhadores, somos pessoas honestas. Essa creche sempre foi um sonho em nossas vidas", disse.

Entrevista

O uso do brinquedo "AcquaPlay" era diário? Em quais momentos as crianças utilizavam o espaço? 

Todos os alvarás e licenças para funcionamento da creche sempre estiveram rigorosamente em dia, inclusive do brinquedo - que já existe há quatro anos . A água era totalmente renovada a cada utilização, após a limpeza total e higienização do brinquedo. Essa água era tratada pela Cesan. Além disso, a cada visita da vigilância sanitária, sempre cumprimos todos os requisitos de troca de filtro que estavam previstas. O AcquaPlay era usado, em média, duas vezes por semana. A utilização dependia do clima. Em dia de chuva ou muito vento, por exemplo, não era utilizado. Como temos o sistema de monitoramento online, é de ciência de todos os pais e mães como esse preparo era realizado. Sempre fomos apontados como referência pela vigilância sanitária, inclusive para outros estabelecimentos desse porte.

No momento de criação da "fábrica" de cerveja, foi pedido a prefeitura alvará para fabricação de cerveja artesanal?

É preciso esclarecer que somos do ramo da Educação há mais de 25 anos. Não temos nenhum interesse, nem tempo , de nos dedicarmos a outra atividade que não seja a nossa escola. Portanto, esse ambiente era utilizado exclusivamente para depósito de materiais pessoais. Ele ficava completamente isolado do restante da creche e devidamente trancado. 

Como foi o momento em que perceberam que várias crianças e funcionários estavam com a mesmo diagnóstico ocasionando o surto?

Quando tivemos três alunos com episódios de diarreia e vômito, até então tratados como viróticos. Esses episódios nos alertaram e, imediatamente, numa sexta-feira à noite (22/03), fora do horário comercial, acionamos o plantão da Epidemiologia da Prefeitura de Vila Velha e comunicamos o caso para que apurassem, a fim de que não houvesse uma proliferação. Portanto , todos os procedimentos necessários, em se tratando de vida de crianças, partiram inicialmente e exclusivamente da nossa creche. Sempre tivemos muito cuidado com nossos alunos. Foi decisão nossa, inclusive, suspender as aulas a partir dos desdobramentos que o caso ganhou.

Após todas as investigações vocês pretendem voltar com a creche?

Deus tem propósito para todos. Ainda estamos tentando entender tudo isso. É momento de muita dor . Tivemos a perda de um aluno que o nosso filho, que também estuda na creche, também chamava de irmão , por terem o mesmo nome. Ninguém consegue imaginar como é difícil esse momento que vivemos. Neste momento a nossa preocupação está toda voltada para a saúde dos nossos alunos. Temos fé que tudo será esclarecido e que vamos conseguir retomar nossas atividades com segurança e a mesma qualidade que sempre tivemos.

Perícia
A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) esteve na creche Praia Baby, na Praia da Costa, em Vila Velha, na tarde de terça-feira (2), para realização de perícia. O estabelecimento passou a ser investigado depois da morte do pequeno Theo, de 2 anos, uma das vítimas do surto de diarreia na creche.

O delegado titular do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha, Gianno Trindade, informou que a polícia está realizando análise e coleta de material no local. Por volta das 14h, peritos acompanhados por técnicos de uma empresa de energia, também vistoriaram as instalações da escola e o entorno.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar se, de fato, houve ou não negligência da parte dos proprietários. O pedido de instauração do inquérito foi feito pelo delegado-geral da Corporação, José Darcy Arruda. Segundo a polícia, ainda não há data para início das oitivas com as partes.