A Janela de Overton. O que de fato precisa acontecer para que a Nova Previdência aconteça.

Por Rono Cançado Bhering 12/03/2019 - 10:52 hs

    Sei que já estou muito chato insistindo neste assunto há várias colunas. Mas a urgência não pode esperar. O sistema de previdência brasileiro é a maior máquina de desigualdades do país. Há o sistema principal, via INSS, e outros paralelos, que servem aos funcionários públicos de cada estado e de muitos municípios. As regras atuais favorecem quem ganha mais. Segundo o economista Paulo Tafner, a empregada doméstica se aposenta 10 anos depois de sua patroa. Mesma situação está o peão de obras, que também se aposenta 10 anos depois do empreteiro.


    Mas por qual motivo tanto a empregada doméstica quanto o peão são contra a reforma? É porque a Janela de Overton ainda – é bom que se ressalte o AINDA – não foi aberta. O conceito da janela foi criada por Joseph P. Overton. Haveria na sociedade algumas janelas que permitem que certos assuntos sejam recebidos com mais naturalidade. Mas essas janelas não se abrem por acaso. São fruto de várias formas de marketing, tanto claros (TV, mídia) como ocultos (universidades), que fazem com que algo antes considerado impensável, pareça mais palatável, digerível, ou seja, socialmente aceito.


    Paulo Guedes precisa abrir a Janela de Overton da Nova Previdência. Grupos muito fortes vão usar e abusar das mentiras durante a tramitação do congresso. Partidos derrotados nas eleições, sindicatos pelegos e o Judiciário começarão com a chuva de desinformação e tramitação de ações judiciais antirreforma. Algumas janelas já se fecharam (debater a respeito da reforma durante as eleições) e outras ainda nem existem (esclarecimento racional da necessidade da reforma por parte dos formadores de opinião), e o tempo passa. Não existe governo Bolsonaro sem essa reforma. Não existe governo pós-Bolsonaro sem essa reforma.


    Políticos do médio escalão, deputados por exemplo, não vão colocar a mão no fogo de graça. Eles perceberam que os deputados que lideraram a Reforma Trabalhista do governo Temer não foram reeleitos. Nennhum deles vai querer repetir o erro de votar certo mas não conseguir passar a mensagem para a sociedade que fizeram o bem. Já passou da hora de o governo colocar o bloco na rua e tentar primeiro fabricar a janela, e depois aprender a abri-la. Já vimos este filme na Grécia, estamos vendo este filme no Rio de Janeiro. Não há instrumento jurídico de “desaposentação”. Aquele gasto é eterno e constante. A única maneira de suportá-lo no futuro, caso a Reforma não seja aprovada, é colocar a maquininha de imprimir dinheiro pra funcionar. Ou seja, inflação em cima de inflação. Dinheiro no bolso e nenhum poder de compra.