Sorrindo à toa

Por Weber Muller 12/03/2019 - 10:31 hs

Existem pessoas que vivem sorrindo à toa, mas nós não. Muitas vezes, vivemos como num vale de lágrimas, submersos num mar de fraquezas...  

Por que passamos por tudo isso? 

Primeiro, porque não podemos nem queremos viver uma alegria superficial, e há muita alegria falsa neste mundo, muita alegria que é zombaria, desprezo à verdade e ao sofrimento do outro. Muitas pessoas alegram-se à custa do sofrimento dos outros, de fazer os outros sofrerem. Por isso, dessa alegria não queremos tomar parte.

A segunda coisa é que muitos vivem uma alegria passageira, baseada em vaidades. A vaidade é tudo aquilo que se vai; não fica, não permanece: é muita alegria baseada em coisas banais e superficiais.

Nossa alegria é plena quando não é baseada no egoísmo, na soberba nem no orgulho. Há quem se alegre, porque outros estão caindo. Que alegria falsa e vã! Que alegria baseada em algo superficial e mundano!

Creiamos: a nossa alegria não pode ser mundana, porque ela não vêm das coisas do mundo. Alegremo-nos com a simplicidade...      Levantemo-nos, em vez de reclamar. Permitamos que os horizontes da nossa vida se encham de esperança, em meio às lágrimas do cotidiano. 

Que as penúrias do nosso viver cristalizem gotas de alegria n’alma e que a alegria possa ancorar no coração e nele fazer morada, sem pedir licença!